Que tal um salário de US$12 mil por dia vendendo skins?

0 comentários

Dois canadenses parecem ter encontrado a fórmula mágica para ‘ficar milionário trabalhando com games’. Como? Vendendo skins de Counter-Strike: Global Offense!

Sempre ouvimos aquele ditado de ‘as oportunidades estão lá, basta alguém saber aproveitá-las’, que é exatamente o caso aqui. Para você que nunca jogou entender: em Counter Strike há um ‘comércio’ de armas – virtuais, claro – mas que levam em conta os upgrades feitos nas armas e, principalmente, as skins, que são a pintura delas.

Artur Minacov, de 21 anos, e John Brechisci, de 28, eram meros dois jogadores de CS, mas começaram a perceber uma tendência na comunidade do jogo, principalmente no referente à venda dessas armas. Basicamente, há duas maneiras de você vender algo em CS: através do Mercado da Comunidade no Steam, sendo que aqui você só pode usar o dinheiro que conseguir com as vendas para gastar dentro do próprio Steam; e a outra maneira, é uma negociação ‘por fora’ que geralmente envolvia passar a arma através do jogo após o interessado pagar via PayPal, mas o que boa parte desses compradores fazia era pedir a anulação da transação assim que recebiam a arma, deixando o vendedor a ver navios – e isso pode ser um prejuízo de centenas de horas de jogo, já que alguns itens e skins são extremamente difíceis de conseguir e ainda aleatórios, conforme você completa certas tarefas e requisitos dentro do jogo.

A ideia dos dois então foi de criar o site OPSkins, que basicamente intermedia as vendas, garantindo o recebimento do dinheiro para o vendedor e o repassando em moeda real, sem qualquer restrição quanto a onde e como gastar. O site foi fundado em janeiro deste ano e segundo seus fundadores já tem uma movimentação diária média de US$120 mil dólares – considerando os 10% por venda que fica com eles, é um salário de US$12 mil por dia, ou US$360 mil por mês. Dá para pagar as contas, não?

Segundo os rapazes, cerca de 15 mil negociações são feitas diariamente através do site, e eles já chegaram a vender uma faca por US$5,000.

“Alguns itens são bem difíceis de encontrar, mas é tudo perfumaria, cosmético,” diz Brechisci. “Mas muitos jogadores não acham que isso é ridículo. Na verdade, 370 mil jogadores.”

A produtora Valve já chegou a pedir o fechamento do OPSkins, mas após entenderem o que era feito ali, autorizou a reabertura da empresa que, atualmente, funciona no porão da casa de Minacov, no Canadá, e já tem cerca de 20 funcionários espalhados pela América do Norte e Europa.

Para alavancar ainda mais os negócios, amanhã, dia 9 de Julho, a OPSkins será a principal patrocinadora – com um investimento de US$100 mil – das finais do mundial de Counter-Strike, o ESWC Counter-Strike: GO World Finals, que acontecerá em Montreal. Apesar de jovens e de ser ‘coisa de joguinho’, a brincadeira desses dois tem cifras bem adultas.

0 comentários: