Bethesda responde críticas sobre violência no novo Doom

0 comentários

Em plena temporada de evolução da tecnologia e ainda tem pessoas reclamando da violência em videogames. O mais novo alvo das críticas foi o novo Doom, demonstrado pela Bethesda na E3 2015. O jogo é, de fato, violento, mas segundo Pete Hines, representante da empresa, essa é a ideia.

Ao ser questionado sobre as críticas numa entrevista com o site Polygon, Hines encolheu os ombros – movimento popularmente representado na internet com ¯\_(ツ)_/¯ – e explicou que “se você não curte jogos violentos e sangrentos….Doom não é para você.”

“Eu disse para o meu filho de 11 anos: você pode assistir a conferência, você pode assistir o começo, mas você não pode ver nada do Doom,” disse Hines. “E então você pode voltar e assistir as outras coisas, porque até as coisas do Fallout, tirando a boca suja do Todd [Howard], são tranquilas.”

“Olha, é um jogo que definitivamente abraça a violência exagera e tenta fazer isso de uma forma que é divertida,” continuou. “Você está fazendo isso com demônios. Se estivesse fazendo com seres humanos num cenário realista você teria uma experiência muito diferente.”

É uma resposta válida. Doom sempre foi uma série violenta e cheia de sangue, e como o Ben Kuchera do Polygon disse, reclamar da violência em Doom é como reclamar do sexo em 50 Tons de Cinza.

O novo Doom sai em 2016 para PC, PS4 e Xbox One.

0 comentários: